sábado, 27 de fevereiro de 2010

O Retorno de Saturno

Eu tenho uma amiga que diz que devo ter pelo menos 75 anos... porque não é humanamente possível já ter vivido tantas coisas num espaço de três décadas apenas. Ela sempre diz isso, e eu sempre acho graça, mas lembro que quando ela falou isso pela primeira vez, fiquei refletindo sobre essa questão. Hoje, passeava com uma outra amiga pelo centro de Floripa quando ela disse algo que também me fez pensar um pouco na minha vida louca. Disse ela: "cinco anos para você é muito tempo, porque as coisas na sua vida mudam muito rapidamente. A minha vida é linear, mas a sua é um eterno sobe e desce. " Claro que não foram exatamente essas palavras, mas a essência era essa...

Eu não sei se você, leitor, já parou para conversar comigo... mas se já, responda a essas perguntas: Já reparou como eu sempre tenho milhões de histórias para contar? Já experimentou fazer uma linha do tempo da minha vida? Você consegue realmente acompanhar todos os meus causos? Eu sei, são tantas peripécias que até parecem mentira... Como pode uma pessoa já ter brincado de ping-pong (Niterói / Floripa, Floripa / Niterói, Niterói / Floripa, Floripa / Niterói e finalmente, Niterói / Floripa) com tanta facilidade ? Como alguém pode ter estudado em três turmas diferentes em um único ano escolar - no terceiro ano do ensino médio ? Como alguém já pode ter mudado de casa tantas vezes que nem consegue mais contar em quantas morou ? Como eu posso ir a uma festa em Florianópolis e encontrar alguém que mora na rua em que eu morava em Niterói e vice-versa? Não sei... só sei que tem coisas que realmente só acontecem comigo... Só eu vejo um homem nu na Lagoa passeando, só eu fico com irmãos sem saber que eram irmãos, só eu mando bombons para a mãe de pegueteS agradecendo a inspiração, só eu faço alguém ir de São Paulo ao Rio de Janeiro me conhecer e dizer "tchau" simplesmente, só eu, só eu, só eu...

Vou tentar relatar alguns fatos da minha vida: tive três loooongos namoros, passei três anos em uma instituição religiosa, pedi exoneração de dois empregos públicos, mudei de estado com apenas uma mochila nas costas, fui estudar em outra cidade simplesmente porque queria ser anônima, fiz cinco anos de faculdade, abandonei duas especializações (agora faço a terceira, espero que essa eu termine), terminei um namoro às vesperas do casamento, fiz gente grande chorar como um bebê, viro muito mais que professora do meus alunos, já trabalhei na night como hostess, já panfletei para arrumar grana para comprar cds, estudei em três colégios apenas, tentei vestibular para engenharia, mas desisti obviamente, fui secretária durante muitos anos, trabalhei na Coca-Cola e meu uniforme era um micro short e camiseta, já fui louca pelos Guns n' Roses, já quis ser dançarina do "É o Tchan", tive uma mega festa de 15 anos, perdi voo e saí do aeroporto de cadeira de rodas, amei mais do que eu deveria ter amado, nunca engravidei, tenho amigos de vida inteira, sempre fui fiel, tenho preferências exóticas para homens (e tenho muitas histórias bizarras neste quesito), morei sozinha duas vezes, joguei handball, dancei lambada na escola, eu sei o que é o "toque de recolher" dos morros cariocas, já vetei globais, já fui a boates gls -mesmo sendo hetero, já fui e voltei para o Rio de Janeiro de carro algumas vezes, ufa... e isso não é nem a metade...

Realmente, não sou fã dos planos de longo prazo porque minha vida é muito mutável. Tenho dificuldades para planejar os próximos dez anos porque não tenho a menor ideia do que me acontecerá daqui a dois... Também não sei se eu gostaria de ter uma "vida linear"... Gosto da minha vida em espiral... Mas não sei se isso é bom ou ruim... vejo tanta gente que planeja a vida toda, faz um script e segue aquilo como se fosse uma sentença de morte... Não sou assim. Apesar de não gostar de surpresas, acho que gosto da inconstância...

Às vezes, fico pensando se foi algo na minha criação que me fez assim... desde criança, ouço que sou cigana, que tenho alma cigana... Isso pode até não ser visto com bons olhos pelos tradicionalistas, mas garanto que graças a minha vida não-linear conheci pessoas muito importantes, que talvez eu nunca tivesse conhecido se não ousasse viver de uma forma não tradicional. Mas conversando com outra amiga, uma outra questão foi colocada: em um determinado momento, isso vai cansar. Em algum momento, eu vou querer achar um porto e simplesmente "descansar" (essa foi a palavra usada por ela).... Ela, que também vive como eu, já cansou. E quanto a mim ? Não sei, ainda não estou nesse fase... Mas pensando melhor, em qual fase estou mesmo ???? Será que amanhã será ainda a mesma de hoje ?? Não sei... vou pensar um pouco sobre isso até que o próximo acontecimento me tome de assalto... hehehe

Um grande beijo

7 comentários:

Anônimo disse...

Ai ai...assunto pra mesa de bar, como já disse!
Que vida louca essa tua né? Haja história pra contar...! Sou dessa barca também, mas confesso que estou cansada...quero descansar! Nem que seja pra recarregar a bateria e começar tuuuudo de novo!
Parabéns pelo texto, vc arrasa sempre...
Lilica

Marcia disse...

"Sra." Elaine,
Eu ainda me surpreendo qdo leio essas coisas, sabia??? Cara, que loucura! hehehehe Fiquei sem fôlego!
Mas comentando especificamente o penúltimo parágrafo: Eu escrevi um texto no meu blog essa semana (e apaguei em seguida) falando justamente o oposto, de como eu gosto de coisas planejadas, de equilíbrio...
Tu és uma 'errada', sabias?? hehehe
Brincadeiras a parte, pode ser que canses, pode ser que não, só tempo dirá. Enquanto isso, vai contanto as próximas pra gente, vovó! hahahhaha

Fabiana Carneiro disse...

Minha querida e loura (?) amiga... Que saudade de acompanhar mais de perto essa sua vida louca. E o que mais me surpreende é como você consegue viver em espiral e, ao mesmo tempo ser tão doce, carente, frágil (não de fraca, mas de delicada). Eu acho que você só vai descansar quando alguém ousar te colocar no colo. Enquanto isso, viva, mas viva muito e não se esqueça de me chamar de vez em quando... Te adoro demais! Fabi Carrrrneiro.

Anônimo disse...

"Amiga-lhess"
Como também fosse fã do Guns, deixo-lhe as sábias palavras do AXL, na música "Patience", para acalmar-lhe a alma, os nervos e o coração:
"All we need is just a little patience..."
Ótimo texto, as usual!
bju

elizarebello disse...

Que demaaaaaaais professora! Quanta história pra contar... Adorei o texto, muito perfeito. bjs

Rafaela disse...

Essa minha amiga, é um almanaque...rs.
Adoro conversar contigo, aprendo tanto...
Bjos!
Ps: cadê o livro???...kkkkk

margareth disse...

olá...amei o seu blog, sou amiga da Flavinha Esteves...ela me passou o link...gostei muito de tudo o que li...parabéns