sábado, 27 de junho de 2009

Tal mãe, tal filha


De tempos em tempos sou assaltada por um modo menininha de ser. Quando vêm esses dias, me enfio em um salão de beleza e trato de fazer o "faxinão"... Confesso que geralmente não sou menininha a esse ponto. Não, não sou tão vaidosa quanto gostaria de ser e nem muito menos quanto a cidade em que moro pede que eu seja. Faço tudo por obrigação, não tenho saco para ficar plantada em um salão cheio de mulheres neuróticas todo final de semana. Até gostaria de ter, mas não tenho. No máximo, faço as unhas semanalmente, mas sinceramente ? Ultimamente nem elas têm recebido tanta atenção... Enfim. MAS ontem acordei meio inspirada. Foi o tal dia de princesa que a gente chama. Quer dizer, nem tanto, né, Elem... rs

Enfiei-me em um salão logo após o almoço. Fiz as unhas, retirei os pelos excessivos, cortei o cabelo. E como era o meu dia de inspiração, olha que abusada, além de cortar franja estilo colegial - o que já é uma grande ousadia - ainda fiz a tal da "escova inteligente". Sabe-se lá Deus o porquê desse nome, mas... rs. Sempre gostei dos meus cachos, continuo gostando, obviamente... Mas essa tal escova aí me deixa penteada por muito mais tempo, e sinceramente na correria que ando, qualquer tempo poupado pra mim é uma maravilha. Mesmo que seja o pequeno tempo de passar uma escova (ou pente - que seja) nos cabelos.

Esse lance de vaidade é engraçado. Minha mãe sempre foi super-hiper-mega vaidosa. Daquelas que não passam uma semana sem dar um oizinho no salão... Nem que seja só pra retocar as raízes ou dar um brilhinho extra no esmalte. Daquelas que têm tooooodos os cremes possíveis e imagináveis nas prateleiras do banheiro e do quarto. Eu cresci vendo isso. Ela se arrumava toda pra trabalhar, se enfeitava, se embonecava, se perfumava, se lambuzava com 30 tipos diferentes de cremes... Além disso, passava horas nos salões fazendo - e desfazendo - cabelos, unhas e tudo mais que fosse possível. Já chegou ao cúmulo de trocar a cor dos cabelos três vezes em um mesmo dia! Cresci ouvindo-a dizer que eu era uma "decepção" pra ela... porque afinal de contas ela sempre sonhou em ter uma filha "menina" para ser tão arrumada e vaidosa quanto ela, e veja só, nasci eu, que nunca gostei dessas coisas... Tadinha! Eu sinceramente ficava com dó quando ela me enfeitava toda pros aniversários e eu simplesmente queria tirar tudo e dizia que queria ir com uma roupa mais "confortável"... Lógico que ela não deixava. Ainda bem... rs

Até hoje é assim. Às vezes, eu estou de bobeira na sala e ela começa a falar do meu cabelo... Que eu deveria pintar de tal cor ou cortar de tal jeito. Outras vezes, ela aparece com recortes de jornal, me mostrando as tendências de corte para o inverno ou verão. Eu, básica que sou no visual, olho e neeeem aí... Respondo simplesmente com um: "bonito mesmo". Mas daí sentar-me naquela cadeira com aquela inspiração toda da Lilia Cabral ("repica, repica, repica"), nem pensar. Mesmo.

Agora em julho farei trinta anos. E confesso que nos últimos meses descobri que alguns cremes realmente são necessários. E às vezes, lembro-me que tenho que passá-los. Mas só às vezes... Hoje mesmo, estava lá corrigindo provas e vi uma revista de cosméticos e pensei “preciso comprar um antissinais”... É, acho que as coisas mudam com o passar do tempo... rs

Bom, quanto ao cabelo, ainda não sei se o resultado ficou legal, ainda não lavei as madeixas... A “senhora das tesouras” me aconselhou a lavar o cabelo um ou dois dias depois do tratamento. Nesse frio que está hoje, confesso que nem faço questão mesmo de lavar... Mas... já já descobrirei como ficou. Inevitável. Só sei que tenho um problema agora: com a franja na testa, meus cabelos brancos ficaram à mostra. Ai... acho que terei que seguir os conselhos da minha mãe e jogar "umas luzes pra disfarçar"... Será ? rsrs

Cremes, cortes, luzes... ixi... será que minha filha também terá uma mãe vaidosa ?? hehehehe

Beijos e boa semana para todos!!

5 comentários:

As cartas que não mando disse...

um rolou uma foto, é?

curti o texto, é bem simples compreender o porque vc não gosta de ficar em salão de beleza e todos estes "paparicos da vaidade", sua beleza natural sobressai mais do que qualquer tratamento estético.

Anônimo disse...

ótimo texto, e realmente, vaidade dá trabalho por isso, eu desisto sempre q começo um "tratamento de beleza"...
mesmo ocupada, tente escrever muito (please!), pq olho todos os dias o blog esperando um de seus ótimos textos!!!

otaviopaes disse...

Ah... os 30 anos... o que eles fazem com a gente? Vc pensa em luzes, eu penso em Grecin 2000... sempre vi propaganda desse tal produto milagroso, e agora, a beira dos 30 vejo q pode ser útil mesmo.. rsrsrs
Por mais que tentamos fugir da indústria de cosméticos, parece inevitável nos rendermos a eles uma vez ou outra.. pressão da sociedade? da familia? cultural talvez?! O fato é que não tem como, em algum momento eles podem nos "salvar". Um ótimo fds pra vc!

Renata disse...

Bem, se a embalagem é bela, certamente vai agradar o cliente logo a primeira vista... O problema vai ser se o conteúdo do produto não superar as expectativas, né! Esse não é o teu caso! Tanto a tua embalagem quanto o teu conteúdo são de apetecer! Infelizmente a indústria da beleza nos impõe um padrão deveras sacrificante, chato e difícil de alcançarmos, mas no fim das contas, o resultado final vai agradar o cliente de A a Z, kkkkkk

Vanessa Ludwig disse...

gostei do texto, franja dá um toque de meninismo, fazer uma mechas dá um toque todo especial :P