terça-feira, 23 de junho de 2009

Para muitos.

Sim, eu odeio o medo. Odeio gente que tem medo de tentar, de errar, de acertar, de quebrar a cara. Gente que tem medo da solidão, da tristeza, do fracasso. Faz tempo que não falo sobre isso, mas hoje esse pensamento me sondou novamente. Acho que é porque eu me perguntei mais uma vez, de repente: se ficarmos parados, qual será a graça ? Por que o medo de tentar ? Por que o medo de tentar ser feliz ? Se não conseguir, paciência. Parado também não se está conseguindo nada...

Tentou e não foi como queria ? Maneiro, vida que segue. Depositou expectativas num relacionamento que não deu em nada ? Acontece, coisas da vida. Pare de ficar choramingando pelos cantos, lastimando o leite derramado. Não adianta ficar tentando lamber o chão para conseguir beber o que caiu... você não vai conseguir e ainda ficará com um gosto horrível na boca. Acredite, é assim que funciona. Você tem medo de quê ? Medo da solidão, de não encontrar alguém, de descobrir-se um ser normal na multidão ? Meu bem, quem te disse, onde está escrito que temos que viver sob a guarda de alguém ? Que tal ser feliz assim, consigo mesmo primeiro ? Manter-se prisioneiro em nome de uma felicidade que nem existe é tolice. Pura.

Relacionamentos começam e terminam todos os dias. Não se preocupe, você não será o primeiro. Também não será o último. Eu já passei por isso, outras pessoas já passaram por isso, o mundo inteiro já passou por isso... e ninguém morreu. O lance é erguer a cabeça, parar de ter dó de si mesmo, levantar e seguir em frente. Colocar outras pessoas no lugar, sair, fazer festa, pegar todas ? Também não sei se esse é o caminho. Por mais que você ache que é isso que tem que fazer, não caia nessa. Dê-se um tempo. Curta-se. Você está sozinho, não morto, e nem muito menos com uma doença terminal. E além do mais, você é um cara legal! Merece passar um tempo a sós com você para descobrir isso... Se dê esse presente, no final das contas, vai descobrir como isso faz um bem danado.

Tá, eu sei, é aquela velha história: fomos programados desde sempre para nascer, crescer, reproduzir e morrer. Você acorda e pensa que ela não está mais ao seu lado. Você deita para dormir e pensa (de novo) que ela não está mais ao seu lado. Dói ? Sim, eu sei que dói... mas encare, acabou. Ela está feliz, em outra... É duro ? É. Muito. Mas deixe-a viver, ser feliz, livre... você não estava mais trazendo isso pra ela. E seja sincero, você também não estava mais feliz. Por que continuar então ? Deixou de ser saudável.... há tempos... e você sabe disso.

Bom, quer um conselho ? Vou dar mesmo assim. Você tem amigos verdadeiros. Descubra-os. Eles são tesouros na sua vida... e acho que você precisa limpar o seu tesouro. Olhá-los novamente, mas com novos olhos. Limpe sua visão, volte à vida. Estamos todos aqui te esperando. Lembre-se disso. O amor surgirá novamente. Daqui a pouquinho ele estará aí, batendo na sua porta... mas enquanto ele não bate, viva. Cuide do seu corpo, do seu cérebro, fique bem, feliz, são e sóbrio... Porque se o amor chegar, você estará pronto. Mas se ele não vier, não se preocupe, você terá conseguido o melhor de tudo: paz interior.

Pra fechar: esqueça o medo. Ele só nos impede de viver. E viver é o maior de todos os presentes. Agradeça todos os dias pelo seu... e não o desperdice.

Um grande beijo,
Elem

6 comentários:

Eduardo disse...

Legal. Eu sempre digo que o segredo é aprender a se ferrar esportivamente.

As cartas que não mando disse...

uau...

forte, definitivamente assim.

Renata disse...

Bem, recado dado... Seja p quem for, a mensagem foi entendida, acho q agora precisar ser digerida, digo, entendida e praticada. Cá p nós, essa última é a parte mais difícil.
Bju enorme.

Precisa de nome? disse...

Nossa! q direta hein...rsrs

Elem disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Vanessa Ludwig disse...

Uau, não sei se foi um recado pessoal para alguém ou uma forma de espressar o que há no íntimo de suas expectativas para um próximo, mas foi realmente lindo, "você está sozinho, não está morto!", foi lindo.
Ah, vi que você fez um comentário em uma postagem antiga do meu bloguinho, beijos