domingo, 5 de julho de 2009

Treinamento

Pois bem. Tive uma semana com vários acontecimentos. Tive várias ideias legais para textos que possivelmente seriam mais legais que esse. Mas por algum motivo (des)conhecido, estou bolada. E resolvi falar sobre isso. E ponto.

Tá, eu sei, já aprendi: o mundo não faz sentido. Eu sei disso. Tudo bem, já entendi também que eu erro pra caramba. Eu estou começando achar que eu sou um "erro ambulante". E (muitas) vezes, começo achar que o maior dos meus erros é justamente morar na cidade em que moro. Não, eu não vou embora, não quero ir embora... Mas penso nas coisas que me fogem dos dedos por morar aqui. Mas como eu ia dizendo...

A história é a seguinte. Conversava eu hoje com alguns amigos meus, amigos mesmo. Dos muitos que tenho fora de Florianópolis, obviamente. Um de Minas e dois do Rio. Aí, papo vai, papo vem e eles bem felizes com suas namoradas/esposas. Mas fiquei meio bolada com uma frase específica: "lendo o seu texto sobre o medo, resolvi arriscar e comecei a namorar a menina que eu estava ficando." E continuou: "é como você escreveu: medo pra quê ? Resolvi arriscar como você falou". Eu li as frases e pensei: legal, estou fazendo algo de bom para alguém. O blog serve para alguma coisa. Aí fiquei pensando e analisando a minha situação especificamente. E me senti meio cansada de preparar coisas para outras pessoas. Entende o que eu digo ? Sinto que minha vida é um constante treinamento. Parece que estou sempre treinando, ajeitando, arrumando e preparando alguém PARA OUTRA! Sempre converso sobre isso com a Lilica, mas hoje a frase do Otávio entrou no meu cérebro direto, como uma bala certeira. E sinceramente, dá pra saber quando vai aparecer o alguém que foi preparado PARA mim e não POR mim ?? Que saco, isso... rs

Aí pensei no fato de morar onde moro. De novo. Inevitável. Pensei que em todo lugar é assim: o cara surge, desestabelece você, a coisa acontece e tudo fica bem. Mas aqui não. O cara surge, te desestabelece e... E. Para por aí. Entende o que digo ? Ontem mesmo, vi mais uma vez essa cena ridícula acontecendo com uma amiga... Sim, porque não falo isso por mim, não (até porque a única vez que dei trela para um cara daqui, ele só me comprovou tudo o que penso sobre o gênero masculino da ilha de Santa Catarina), porém, fico observando situações alheias. Tenho várias amigas, todas enroladas com algum cara bem desse tipinho que descrevi aí. Ou seja, aqueles que aparecem, nutrem a expectativa, o romance e depois ficam em cima do muro. Que não sabem se casam ou se compram uma bicicleta. Ui, Deus me laivre desse tipinho de Florianópolis e região... Às vezes, o individuo nem é daqui, mas absorve o costume da região... sabe como é.

O texto está confuso? Sigam meu raciocínio.

Você é legal, bonita, inteligente e gente boa. Aí, conhece um camarada. Esse camarada é legal, bonito, inteligente, gente boa, MAS, não está pronto para namorar - segundo ele. Ótimo. Você resolve investir nele mesmo assim. Afinal, ele está sozinho e não tem ninguém a vista. Passam horas juntos, conversam, saem, batem papo, ele te diz que gosta de sua companhia e blá blá blá. MAS AÍ, de repente, da noite para o dia, ele vem com um papo torto de que "graças a VOCÊ, ele está pronto para se relacionar com alguém. E que conheceu uma menina que é tudo que ele sempre quis". E ainda finaliza com um beijo no rosto e com um "obrigado por tudo!" Você, menina que mora em Florianópolis, já ouviu esse papinho ? É, eu também. E metade das minhas amigas também. Bem-vinda ao clube. Daí você, menina-legal-bonita-inteligente-gente-boa para e fica com cara de bocó. Se olha no espelho e pensa "o que eu fiz de errado ?" e chora. Honey, o problema não é você, creia nisso. O problema é (d)ele. Só isso.

Outro exemplo: você conhece um rapaz, namora, ele é um filho da p*** com você. Você termina com ele, obviamente. Daí, ele chora, esperneia, diz que se arrependeu, que não fará mais nada de errado, que ele já aprendeu tudo o que não se deve fazer. Claro que ele aprendeu com e graças a você. O sofrimento que "você" causou, fez com que ele aprendesse a dar valor. Beleza. Algumas semanas depois o mesmo indivíduo aparece com uma aliança no dedo, feliz, com uma nova menina ao lado. Então, você começa ouvir de todos os conhecidos: "nossa, como fulano mudou..." Você pensa: "Desgraçado". É, eu sei, revolta. Normal. Dava pro indivíduo ter aprendido ANTES de namorar você ? Dava para ter sido treinado por alguma outra menina que não fosse você mesma ? Hummm... não.


Acho que quando Deus criou as pessoas, deve ter feito algum tipo de classificação. E com certeza eu estava na escala de “trainner”. É a minha única explicação. O que espero ? Sinceramente ? Que exista alguma outra trainner perdida por aí que esteja capacitando muito bem o meu menino. Porque olha... eu tenho treinado muito bem os meninos das "outras"... Quer saber, se demorar muito, peço baixa dessa categoria e mando mundo plantar batatas. E tenho dito. Rs

Beijos e boa semana para todos.

6 comentários:

Lydice disse...

Acho que o problema não é só em FLoripa minha linda, aqui no rio é igualzinho!!!rsrs já terei tempo de te contar quando vir aqui!
bjssssssss e otimo mes de aniversario

Renata disse...

Olha, preparar o caminho de alguém também tem o seu valor, rsrs. Se olhares na Bíblia, isso foi feito por muitos, kkkkkk... João Batista preparou o caminho de Jesus.Essa tarefa é nobre, amiga! Estou brincando, mas digo q a tua hora vai chegar! Podes apostar q alguém está sendo preparado ou treinado, por outra trainner, para te encontrar e te fazer muito feliz. Mereces isso!

Anônimo disse...

Acho que podemos fundar a "Confraria das Trainners"!
Aff!
Será que vai ser sempre assim?
Lilica

Elem disse...

Gata, não sei... só sei q minha paciência está esgotando...
Ligou o nome à pessoa ?? rs

Vanessa Ludwig disse...

Muito bom seus textos... Realmente, não nos conhecemos, não tenho a mínima idéia de como entrei no seu blog, mas a qualidade é fantástica.
O texto que você fala sobre o Medo também me ajudou muito numa fase onte ele estava me confundindo Obrigada :)
Me indentifiquei muito com esse texto, realmente, os garotos de Floripa são assim (os que eu conheço), que raiva! Bom saber de alguém com pensamentos semelhantes.
Beijos... continuarei acompanhando seu blog ;)

Vanessa Ludwig disse...

Muito bom seus textos... Realmente, não nos conhecemos, não tenho a mínima idéia de como entrei no seu blog, mas a qualidade é fantástica.
O texto que você fala sobre o Medo também me ajudou muito numa fase onte ele estava me confundindo Obrigada :)
Me indentifiquei muito com esse texto, realmente, os garotos de Floripa são assim (os que eu conheço), que raiva! Bom saber de alguém com pensamentos semelhantes.
Beijos... continuarei acompanhando seu blog ;)