sábado, 25 de setembro de 2010

Pensamentos

Não que eu seja puritana demais ou pervertida demais, mas dificilmente as coisas me chocam. Entretanto, esta semana fiquei chocada com coisas que vi, ouvi e li.

Todo mundo sabe que tenho uma visão meio machista sobre a fidelidade. Já escrevi sobre isso algumas vezes e continuo defendendo a bandeira da fidelidade. Sou fiel, sempre fui e pretendo continuar assim. Ponto. Mas isso não quer dizer que eu não saiba (e aceite) a diferença entre amar alguém e trair alguém. Como assim ? Aprendi há alguns anos que trair o seu parceiro não significa necessariamente que você não o ama. Mas, como já dizia alguém, devagar com o andor porque o santo é de barro.

Pera lá... O que tenho visto de casos de traição tem me chamado a atenção. Não sei se pela naturalidade, ou pela falta de cuidado com o parceiro, ou pelo crescente número ou ainda pela igualdade entre os sexos (feminino e masculino) neste quesito. Desde semana passada eu queria falar sobre isso, quando recebi uma proposta um tanto quanto incoveniente de um cara casado que insistiu em me convidar para "fazer alguma coisa", na hora eu quisesse, quando eu quisesse... E ao ouvir o meu não, seguido claramente da explicação "porque você é casado", o cidadão ainda teve a cara de pau de responder da seguinte maneira: "isso que você falou aí não tem nada a ver, o fato de eu ser casado não me impede de fazer nada"... Fiquei tão enojada que acabei decidindo o tema desta semana: Traição. Os dias foram passando e acabaram trazendo novos acontecimentos sobre a mesma temática. Histórias que me deixaram tão de boca aberta que foi impossível não escrever realmente algo sobre o assunto.

Vamos lá então. O que eu penso sobre a traição não mudou. Principalmente pelos meus valores. Não gosto, não curto, não é a minha, não acho justo com a pessoa que está do meu lado, não acho justo comigo, acho estranhíssimo PARA MIM. Porém, tenho (ou tinha) uma tendência a não condenar quem faz. Aliás, há muito que procuro não condenar ninguém por nada. Mas, gente, calmaê... A coisa está se tornando tão absurdamente banal que fiquei meio preocupada e confesso que com um certo nojo de tudo... Uma traição ocasional, uma pulada de cerca, um tesão que não deu pra segurar, um envolver-se emocionalmente com outro dá pra entender com um certo custo. Mas a traição por traição, um hábito... isso não dá pra entender. Eu pelo menos não consigo. Será que é tão difícil assim se colocar no lugar do outro ?? Eu não teria coragem de cornear um cara que está comigo. Já tive oportunidades e sinceramente não consegui. Primeiro porque acho uma falta de respeito extrema com a pessoa que está comigo e segundo porque acho uma falta de respeito extrema comigo e com o meu corpo. Por isso não faço. Mas já fui traída e isso não é segredo pra ninguém. Claro que não tenho o menor orgulho disso, mas toda aquela situação me fez entender outras que viriam e que ainda virão. Passei a olhar a infidelidade com outros olhos, confesso. Mas, mesmo assim, mesmo tendo uma visão mais ampla sobre infidelidade, esta semana meu estômago embrulhou quando esse carinha que citei aí em cima ficou insistindo, tratando a esposa como uma babaca... Meu estômago embrulhou quando descobri que um infiel que conheço não trai só por tesão como eu pensava, mas trai por diversão tb, me embrulhou o estômago quando li uma msg pedindo pra uma amiga confirmar que "ia dormir fora" pq ia sair com um outro rapaz que não o seu namorado de 4 anos, me embrulhou o estômago a naturalidade com que a frase "sou extremamente infiel" foi proferida... Pelo amor de Deus, não quero parecer a senhora da moral e dos bons costumes... mas foi punk ouvir tudo isso em uma mesma semana e não vomitar. Me senti uma menina pura e virginal diante de tanta coisa suja, de tanta hipocrisia. É assim que são os casamentos de hoje em dia? Uma farsa??

O texto não tem nenhuma finalidade... muito menos a de criticar alguém... É só um desabafo sincero meu. Um desabafo de quem se pergunta aonde o mundo e as relações humanas foram (ou vão) parar... Fiquei pensando sobre as minhas concepções e valores... Fiquei pensando no quanto é realmente difícil encontrar alguém hoje em dia com quem valha a pena ficar... Fiquei pensando em mim mesma... Fiquei com vontade de ligar para um certo alguém e dizer "viu o que você perdeu? Você merecia encontrar alguém que te corneasse muito também"... Mas depois de tantos pensamentos e frases na minha cabeça, decidi que o melhor era continuar assim, mantendo firmes os meus ideais de relacionamento e de fidelidade. Fiquei pensando na grande putaria que o mundo está se tornando (ou já se tornou)... Por que as pessoas querem manter relacionamentos estáveis se mantêm outros instáveis por fora? Pra que namorar, noivar, casar se não conseguem deixar a vida promíscua ?? Já pensou no quanto mal essas pessoas fazem a si mesmas e aos cônjuges? Já pensou no quanto doerá se um dia for descoberto, tanto no traidor quanto no traído? Gente, eu já descobri traição e posso dizer que não há dor no mundo igual... E não há nada no mundo que faça sarar... mesmo com o passar do tempo, aquela ferida se mantém. Custa, então, a gente ter um pouquinho mais de cuidado com quem está ao nosso lado??? Quer trair ? Quer transar com outras pessoas ? Quer "renovar" ou "provar carne nova" ? Fique sozinho... Você não tem o direito de expor tanto assim a pessoa que você diz amar. Ninguém tem esse direito...

Enfim. Nada disso é da minha conta mesmo... E é tudo muito sujo... Prefiro não me sujar, prefiro realmente não me envolver com nada disso. Perdoe-me o radicalismo, mas realmente foi demais para minha cabeça e meu coração puritano. É isso então, fiquem todos com Deus.

Um abraço.


10 comentários:

Luana disse...

Isso mesmo Elaine, concordo plenamente ;)

Beijos ♥

Rafaela disse...

Eeeeeenfiiimmmmmmmm... concordo com tudo e também me sinto enojada com tudo isso. Nessas horas a gente vê como Deus é bom e abre nossos olhinhos na hora certa, pra não fazer caquinha...hehehe
Bjos, como sempre, ótimo texto!

Aline C. disse...

As pessoas não estão mais se casando por amor, paixão, tesão e cumplicidade. E sim para não ficar solteiras. Há milhares de exceções, claro. Mas aos que restam, não deveria lhe dar o direito de proferir : Até que a morte os separem.
Não estou defendendo a separação instantânea, aquela que você casa somente uns 3,4 meses e vê que não deu certo, porque mal tentou.
Enfim, o relacionamento platônico me parece bem melhor do que o carnal.

Sinto sua falta.
Ótimo texto, como sempre.
Beijos.

Lilian disse...

Como diria Nando Reis: "O mundo está ao contrário e ninguém reparou!"
Ótima reflexão, amiga!
Bjs!

questaodeprefixo disse...

O negócio é não se deixar levar, mas como já disse Raul Seixas: eu quero é ter tentação no caminho, pois o homem é o exercício que faz...

Parabéns pelo blog amiga, e não se esqueça de me re-colocar nos teus desabafos alheios... kisses

Sizií disse...

concordo perfeitamente com os seus escritos. Acabou a consideração.MAis ainda acredito que possa existir alguem fora desse jogo sujo todo!!
Abraço

Anônimo disse...

Fica a pergunta: Pra que mesmo manter relacionamentos????
Assino embaixo...
Beijos
@ViviEyng

Anônimo disse...

Concordo em gênero, número e grau!
Boas falas!
bju

suellen nara disse...

a questão é que a gente sempre procura em outra pessoas alguma coisa que nosso parceiro não tem.
é a velha situação: "eu te amo, mas no momento não é de você que eu preciso."

Beth Mello disse...

Passei para uma lida e me identifiquei, eu tenho um conceito radical também sobre traição, mas sigo muito forte em mim a LEI DO KARMA, Trair é criar um ciclo de coisas ruins que voltam só pra quem o praticou.... continue sempre limpa deste tipo de atitude desnecessária, quem trai precisa de mais "amor" do que o amor próprio e o amor do seu parceiro, são pessoas inseguras e com problemas de EGO!