terça-feira, 21 de setembro de 2010

Reflexos da luz embelezadora

E continuando a saga... lá fomos nós no tal do Boteco do Neco tentar descobrir quem era o moçoilo do chapéu Panamá (para quem não sabe sobre o que eu estou falando, atualize-se aqui).
Pois bem, domingão à noite, eu e a parceira de roubadas despencamos para Sambaqui. Chegamos no local e percebemos que o tal boteco nada mais era do que uma calçada coberta com umas telhas, tipo um ancoradouro de barcos, porém cercado de tábuas e com entrada a 10 reais. Do lado de fora, eu ouvi uma voz feminina cantando, ou seja, não era o rapazinho que eu procurava. Mas já que estávamos lá, entramos. Afinal, sempre pensei quem está na chuva é pra se molhar... e eu não sou de voltar atrás nas minhas decisões. E sim, eu estava decidida a comer o cérebro daquela coisa fofa e dar o golpe. Pois é.
Ainda estávamos em fase de reconhecimento do local quando percebo um ser alto adentrando o local... Rapidamente, olhei para o rosto dele para procurar as covinhas-bandidas... e adivinhem... elas estavam lá. Há! Deu certo, era ele... mas... não o reconheci de imediato... afinal, ele estava sem o chapéu... sem a camisa de botão.... sem aquele estilo "carioca malandro da década de 50"... Pelo contrário. Ele estava com um moleton à la 15 anos... e com a blusa do Avaí - mesmo depois de uma derrota de 3x1 em casa... E com um cabelinho nada sexy. Meu Deus. Cutuquei a amiga, ela olhou também. Ficou em dúvida. Mas quando ele sorriu... batata, era ele! Amiga e eu nos olhamos. Olhamos para ele. Nos olhamos de novo. Pergunta um: "Elem, o que vc viu nele??" Pergunta dois: "Quantos anos será que ele tem?" . Meu Deus, medo da resposta. rs
Passamos boa parte da noite observando todos os passos do menino (sim, porque ele é um menino), ouvindo as conversas dele e reparando no modo com ele dançava.... Pois é, ele estava com uma parceira... que não era a mulata-Sargenteli do último episódio, maaaaas também era uma mulata. Olhei para o meu bronzeado branco-escritório e pensei: Já era... definitivamente, não faço o tipo dele. A minha amiga foi além: "Elem, essa menina deve ser coleguinha de recreio dele... Porque se ele parece ter 18 anos, ela deve ter uns 15,16. Eles devem merendar juntos na escola... " Morri. Pensei nos meus 31 e pela primeira vez senti a minha idade pesar horrores. Aaaah, cadê o buraco para eu enfiar a minha cabeça? Não, não tinha.
O jeito era babar no modo como ele dançava. E admirar a boca apetitosa que ele tem. E morrer de inveja da tal moçoila de cabelos enrolados. E de repente, me vi numa situação muito... hãn... digamos, estranha: ao mesmo tempo que eu pensava que eu não podia querer beijar um bebê como aquele, eu pensava em como eu adoraria beijar um bebê como aquele. Fato é que querendo ou não querendo, eu não beijaria. Pelo menos não naquele dia.... Afinal, naquela noite, novamente, ele estava acompanhado. Maaaas, há de haver um dia em que eu estarei torrada de sol e ele estará disponível no mercado... rs
Pra finalizar o nosso belo programa de índio, lembrei que já dei aula em Santo Antônio e em Sambaqui. Matutei com os meus botões e falei para minha amiga: "Já sei. Esse moleque deve ser amigos dos meus ex-alunos... É só investigar" E como amiga é sempre amiga, ela me olhou e respondeu: "Elem, se bobear esse moleque deve ser FILHO dos seus ex-alunos... " Depois desse choque de realidade - e banho de água fria - limitei-me a passar a mão pelos meus cabelos lisos e dizer: "Ok, vamos embora". Imagina o bate papo entre a minha pessoa e o meu ex-aluno:
- Olá...
- Oi, professora, que bom te rever
- Pois é.... mas e aí... será que vc não faz um esquemão entre mim e o seu filho, não???

É, definitivamente... acho que não ia pegar bem... hehehe
Coloquei minha viola no saco e segui rumo ao Continente. Mas não se preocupem... a saga continua e eu ainda não desisti... Sendo assim, aguardem as cenas dos próximos capítulos...

5 comentários:

questaodeprefixo disse...

Ai meu Deus, eu não sei se dou risada ou choro. a propósito e em tempo: que tal um photoshop na fotinho das tatoo das borboletas? haha. Tá bom, é brincadeirinha... saudades.

Anônimo disse...

haha D=

Aline C. disse...

amor, não sei o que falar. esotu meio sem inspiração. não acc, beijos, te amo flor.

Elem disse...

Impossível não aceitar esses seus recadinhos fofos... hehehe

Luana disse...

Haaa, sentiu na pele como é! brincs rsrs
beijoo (nao acc) ;)