sábado, 31 de outubro de 2009

Também te amo, baby!

Quando eu tinha uns 14 anos, mudou-se uma menina para o meu prédio e ela também se chamava Elem. Nada demais. Com o passar do tempo, comecei a perceber que as coincidências entre nós iam além do nome... E isso começou a me irritar.

Algum tempo depois, percebi que ela imitava muitas coisas que eu fazia: textos, desenhos, assinaturas, trejeitos e etc. Até que um dia resolvi falar com ela e perguntar o porquê de tudo aquilo e ela me respondeu que "copiamos aquilo que admiramos". Eu sei, frase politicamente correta demais para uma fedelha de 14 anos... Mas, frase pronta ou não, nunca mais esqueci. E desde então, sempre que vejo alguém copiando alguma coisa do meu jeito louco de ser, penso nesta menina e no que ela me disse.

A questão é, quando crianças, a inveja não surge de uma maneira ruim. Ela simplesmente é uma vontade de imitar aquilo que realmente gostamos. O problema é que a inveja, quando adultos, é diferente. Bem diferente. A inveja do adulto é má. Ela não se contenta em admirar e copiar o outro... ela quer destruir... E por isso, cria histórias que nem sempre são belas ou reais. Isso me preocupa. Ou seja, se alguém tem inveja de você, ela não vai apenas imitar seus atos. Ela não vai se contentar em conviver contigo: vai querer tirar as coisas de você... Sutilmente ou não. Concientemente ou não.

Esta semana me irritei profundamente com dois acontecimentos. Obviamente que já passou, porque como todos sabem, minha raiva não dura mais que dois dias... Pelo sim, pelo não, vou mandar recados again. Gostem ou não.

Primeiramente, não entendo o motivo das pessoas procurarem informações minhas se não temos vínculos. Ou seja, como já dizia minha amiguinha: quem procura, acha. Se não quiser achar, não procure. É simples assim. E "segundamente", não mexa com quem está quieto. Às vezes, vale muito mais a pena cuidar da sua própria vida do que mexer em vespeiro. Da minha vida, cuido eu. E ponto. Creia, não será a sua intervenção que vai mudar o meu estilo de vida. Amo ser assim. Amo ser "estranha", sorridente, louca e livre. Amo falar o que penso e sei muito bem o preço que pago por isso... e justamente por conhecer bem este preço que admito perto de mim apenas as pessoas que quero/gosto/adoro/amo... Se você não faz parte desse seleto grupo, não force a barra. Acredite, você vai acabar ouvindo coisas que não vai gostar. Tenho personalidade forte e se você acompanha o blog ou o meu dia a dia sabe disso. E muito bem...

Não quero que pareça agressivo... não é para ser... não mesmo. Às vezes, o ser humano sente vontade de estar no lugar de outra pessoa, mesmo sem perceber... É normal, dizem os psicanalistas... Então, sejamos todos felizes. Cada qual na sua, do seu jeitinho, e se você admira alguém, diga isso à pessoa e ponto. E antes de fazer algo que vai prejudicar alguém, pense vinte vezes no motivo real pelo qual está fazendo isso... De repente, a situação até se inverte a seu favor. E nunca esqueça a máxima: felicidade construída em cima de outrem não é real. Não transforme pessoas em degraus... não é bonito... Leis do universo... rsrsrsrs

Bom... O feriado está aí para aliviar as tensões... Escrevi para duas pessoas especificamente e antes que alguém se sinta importante demais, são duas mulheres. Mulheres, entenderam bem ?? rs

Muitos beijos e até daqui a pouco... Ainda terei mais um para hoje... Isso que dá passar sábado em casa, mas é que hoje é dia das bruxas e eu tenho medo de fantasmas e afins... prefiro não me arriscar a sair e encontrá-los por aí... hehehehe

P.S.: Tenho tanto orgulho de algumas alunas... Sim, eu as admiro e muito...

Aline e Gabriela,
obrigada por deixarem os meus dias muito mais bonitos!!

3 comentários:

Gabriela disse...

professora (estranha)
sabes que embora eu implique muito contigo tens um lugar especial bem aqui (tô apontando pro coração tá? hehe)
continue sendo essa estranheza em pesooa que eu amo muuuito!

Allie Caramori disse...

AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAHHHH!
Que tuuuudo prof.
ai, to até chorando agora!!!!
Sabes que eu te encomodo bastante, faço você ficar vermelha de vergonha, mas é que eu SIM adimiro-te demais.
Sei láá, aquele 'não force a barra' poderia encaixar-se em alguém da sala, que te pede pra contar tudo da tua vida? rsrsrs. *ciúmes*

Não vais ficar no meu coração não, vais ficar com um pedaço de mim quando eu sair do Criativo, minha, MINHA professora estranha que rosna para cachorros de 20 cm.

Beeeijos. *----* (ainda to feliz que apareci no teu blog *-*-*-*)

Gabi Fernandes disse...

Nossa, tava revendo esse post, é incrível como eu pude ficar amiga de uma da minhas professoras... Obrigada por fazer os MEUS dias melhores... Mesmo com a distância, a falta de tempo, e afins... Sempre penso na minha prof, Maluquinha...
Te admiro muito, muito mesmo.
(Quando eu crescer quero ser assim rsrsrs)

Beijã...