domingo, 5 de abril de 2009

Niterói

Pensando nas coisas que sinto falta.

Eu sou saudosista por demais, eu sei disso e admito. Estou com saudades da minha cidade. Que nem é minha cidade de nascimento, na realidade. Mas é minha cidade de criação, de coração e de alma: Niterói.

Ontem à noite fiquei lembrando das ruas sujas e abafadas do centro, da multidão de pessoas andando de um lado pro outro, dos camelôs gritando, da agitação, da correria... senti saudades. Sei que parece loucura, só lembrei de coisas ruins, mas é que essas coisas não são ruins. Não para os niteroienses que estão longe de casa. São características da cidade-sorriso.

Claro que também lembrei das coisas boas: o Campo de São Bento, as ruas de Icaraí, as pessoas caminhando no calçadão, os bares de São Francisco, as Fortalezas de Jurujuba, o pôr-do-sol em Itacoatiara e em Camboinhas, minhas praias preferidas...

Deu saudade. Muita saudade mesmo.

É engraçado. Gosto muito de Floripa, mas periodicamente sinto necessidade de voltar a Niterói, nem que seja pra recarregar as energias... Não sei porque isso acontece, mas acontece. E eu não piso no solo de Nikiti desde agosto... Ou seja, baterias fracas. Quando isso acontece, minha cabeça começa funcionar em função disso... E pra completar, ontem recebi um novo e-mail do Pedro Segundo. Mais uma convocação para trabalhar naquela escola que sempre foi o meu sonho de consumo. Claro que não vou, isso já está decidido. Mas pensei ainda mais no Rio de Janeiro. E em tudo o que me causa a Cidade Maravilhosa...

Saudades de casa. De verdade. E não é apenas TPM.

Niterói pra mim é isso: ficar estirada em Camboinhas, tomar água de coco e ouvir a música do quiosque, tomar chopp gelado na orla, sentar na divisa entre Charitas e São Francisco e olhar o mar, andar pelas ruas do Centro e descobrir as novas tecnologias trazidas pelos ambulantes, entrar nas lojas Americanas só pra distrair a cabeça e refrescar um pouco o calor, olhar as farmácias todas, passear no Plaza e aproveitar para olhar os sapatos e as vitrines.

É ainda passar pela Cantareira e dizer “caraca, essa obra não acaba nunca”, caminhar pela orla que vai de Gragoatá até Icaraí, sentar em algum ponto e olhar os pescadores e a vista pro Rio - é a melhor vista, subir até o MAC e depois descer. É comer cachorro-quente sábado à noite, tomar sorvete a quilo, xingar a imundície do terminal, odiar o Bay Market e correr pra pegar a barca que já está saindo...

Saudade também das pessoas. Pessoas que andam de chinelo de dedo pelas ruas e pelos shoppings, que não usam brilho durante o dia, que saem pra balada de sainha e blusinha e com o cabelo normal... Saudade de não precisar querer ser mais do que ninguém. Saudade de gente simples, gente bonita pela naturalidade com que encara a vida e não apenas por causa da genética.

Enfim...

Saudosismo... Já escrevi aqui uma vez que ele transforma qualquer latão em ouro, mas, mesmo assim, digo que o meu ouro é esse: minha cidade. Bairrista que sou, mesmo longe, confesso o meu desejo: queria muito que Niterói fosse aqui. Ou melhor, queria muito ter as mesmas oportunidades que tenho aqui, lá. Aí, tudo seria perfeito. Pra sempre. Mesmo se junto da cidade, viesse o povo mais mal-educado do mundo, mas também o mais caloroso. Saudade dos meus semelhantes. Acho que é isso...

Pra encerrar. Mandem um abraço ao Araribóia. Digam que em breve ele avistará a minha chegada. E que seguindo o exemplo do Cristo, ele pode abrir os braços para me receber...

Um beijo a todos aqueles que por algum motivo estão distantes de sua cidade-natal. Boa semana e até.

14 comentários:

Anônimo disse...

Olá, mais uma vez retorno pra comentar!heheh! Primeiramente, eu sou gonçalense e nao acho nada d mal nisso, VC TB É!rs! Tb gosto mto d nikiti, tanto quanto vc! Li esse texto agora e fiquei imaginando Itacoatiara ( é o papel d parede aki do pc!rs)! E tb nao acho o povo carioca mal educado, vem pra Manaus pra vc ver!rsrsr!

Elem disse...

Meu caro, eu não sou gonçalense... (Deus é pai!)... Nasci no Bairro da Tijuca, no município do Rio de Janeiro.... Isso faz de mim: CARIOCA UHULL
Fazer o quê, né... Gonçalense é tudo igual mesmo..... hahahahahahahah
Sinto mto por ti!!! hehehehehe
Beijo!!

Eu sou a Fabiana Carneiro, disse...

Quero ir para Nikiti!!!!!

O que posso eu falarrrr de Caçadorrrr?????


Apenas erres e mais erres... hahaha


bjao! Ótimo texto.

ブ Gabriel disse...

Ah o Rio de Janeiro...
Sinto falta, mas não sou dependente dele. Prefiro florianopolis, acho mais agradável climaticamente.
Mas sinto muita falta da calorosa recepção carioca, daquela simpatia nos olhares.
De pessoas se cumprimentando na rua, conversando, gritando. É uma coisa louca esse nosso Rio de Janeiro.
Espero que continue lindo.

Maurício! disse...

Realmente vc é uma autêntica carioca!!rsr!
Todos aqui falam "por ti"!!!
ahahaha

Julio disse...

E o Rio de Janeiro continua lindo... e.... perigoso, sujo e cada vez mais mal cuidado pelos nossos governantes.

Sou carica nascido e criado, e um dos maiores críticos do que acontece na cidade tanto pelo governo quanto pela população, mas seu texto foi perfeito. Apesar dos problemas, somos únicos e temos uma energia que poucos chegam perto de ter.

Todo morador da cidade do Rio fala mal de Nikity, mas também todos que se mudam pra lá, acabam se apaixonando pela agitação da cidade com jeito de cidade do interior ou será que é pela vista??? heheheheh.

Bjs e se cuida.

Confissões de uma Adolescente em Crises :) disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Confissões de uma Adolescente em Crises :) disse...

confesso que lendo seu texto, me deu vontade de fugir prai tb, principalmente por nao usarem brilho durante o dia, e havaianas durante a a noite.. haha, teu texto tá perfeito demais, eu amei, e amei como tu descreveu tua 'patria', deu mais vontade ainda de conhecer.

Marcia disse...

"Olhar as farmácias"??? Como assim??? hehehehe! Fiquei um pouco perdida, coisa de Catarina que nunca sai daqui, mas adorei sua paixão pela terrinha! (Imbituba, Imbituba, que saudades de vc...)
Bj!

Elem disse...

É, Niterói tem uma farmácia em cada esquina... às vezes, até duas... heheheheheheheh
Coisas de Nikiti!!! rsrsrsrs

Lara disse...

N conheço niterói , porém me identifico com o texto, pois ha 2 meses estou em manaus longe de minha terra natal - SP ...Saudades dos camelos, das ruas sujas da republica, do amor dos meus pais.

saudades MESMO

Marcelo Aristek disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Marcelo Aristek disse...

Niterói é assim mesmo. mt marcante. Embora seja uma cidade meio segregadora... mas isso é outra estoria. vc foi e será mt feliz na velha Nikiti. não tenho dúvida disso!

Gene do Grafite disse...

Gatinha

Feliz em poder meio que muito rapidamente, te ver, vc está muito linda, causando ou não medo.

fica bem,

namastê!