sábado, 13 de novembro de 2010

Sobre Festas Natalinas

Fato: já estamos em novembro. Nem preciso dizer que o ano de 2010 voou. Lembro que quando eu era criança - e a mãe escondia meus brinquedos de Natal em cima do armário dela - o Natal demorava anooooooos pra chegar. Eu passava o ano inteiro esperando pelo meu belo presente e, vou te falar, demorava muito, mas muito mesmo, pra ele chegar...

Lá em casa, fazíamos aquelas mega festas de Natal. Reuniam-se a família inteira - e pensa que eu sou um ser que tenho 10 tios por parte de mãe e 13 por parte de pai - e os agregados, amigos e amigos dos amigos... E a festa rolava solta com muita comida e muito vinho. Era uma tradição. Com o passar dos tempos, os tios foram casando e passamos a fazer as tais festas em casas diferentes a cada ano. Ou seja, acabou a dinastia... rs. E acho que foi aí que comecei a achar o Natal uma coisa mto chata. Se bem que eu não lembro se eu achava legal naquela época... rs

O chato das festas de final de ano são aquelas baboseiras que as pessoas inventam: balanço dos erros e acertos do ano atual, lista de coisas que querem mudar no ano seguinte, amigo-oculto nas redes sociais, compras e mais compras, e o pior, aqueles beijos e abraços tão desnecessários e que me soam tão falsos entre pessoas que mal se falaram durante o ano inteiro. Acho tudo isso um saco. Sempre fico me perguntando qual a real necessidade disso. Tenho outras filosofias sobre o Natal, mais religiosas, é claro. Fico feliz por, nessa data, Deus ter enviado seu filho à Terra. E ponto. Não preciso ficar a noite inteira acordada por isso, e nem muito menos, gastar aos tubos, ou ainda, ser obrigada a ficar abraçando - e sendo abraçada - por pessoas que eu não tenho a menor intimidade... Enfim. Coisas da Elem...

Já o Reveillon eu acho massa. Talvez porque não tenha essa forçação - meu Deus, nunca escrevi essa palavra antes, que horrível rs - de barra. Gosto de passar a virada com os amigos em algum pico. Não importa onde, desde que seja na rua, tomando champagne, usando uma roupa predominantemente branca e uma calcinha rosa (sempre). Gosto do astral do Reveillon. Gosto das pessoas felizes, contando os segundos finais, todo mundo vira amigo, todo mundo se abraça, deseja feliz Ano Novo... Eu sei, é meio contraditório, mas é que o 24 não me passa essa alegria toda que o 31 passa... Vai entender.

Carlos Drummond de Andrade, que é um gênio, escreveu algo sobre a virada de ano e que é algo realmente espetacular. Ele disse o seguinte:

"Quem teve a idéia de cortar o tempo em fatias,
a que se deu o nome de ano,
foi um indivíduo genial.
Industrializou a esperança, fazendo-a funcionar no limite da exaustão.
Doze meses dão para qualquer ser humano se cansar e entregar os pontos.
Aí entra o milagre da renovação e tudo começa outra vez, com outro número e outra vontade de acreditar que daqui pra diante vai ser diferente"

Não é perfeito? Eu acho. É exatamente isso que acontece... As coisas na realidade não mudam quando o calendário passa de 31 para 01, mas isso renova a esperança das pessoas de que, no novo ano que se inicia, tudo será diferente. É claro que todo mundo sabe que na verdade nada muda naquela meia-noite, mas a virada renova as esperanças de que tudo pode mudar, pode melhorar... "Nesse novo ano, não vou mais fumar", " Em 2011, vou emagrecer 10 quilos e nunca mais engordar", "A partir do dia 01 de janeiro, vou ler pelo menos dois livros por mês", etc, etc, etc.... Ninguém precisa esperar o dia 01 pra parar de fumar, começar a dieta/academia, ler mais, achar um amor novo, largar um amor velho... nada disso. Sabe que dia que a gente consegue essas coisas? No todo dia.... Todo mundo sabe disso... Mas a virada do ano tem esse poder mágico sobre as pessoas. E, no fundo, eu acho isso legal.... Acho que o ser humano precisa de uma data-chave, um marco... E é isso que o Reveillon proporciona: "a partir de agora, você vai mudar! O ano é novo e você também será" rs (um parêntese: Tanto isso é verdade, que todo aluno, ao comprar um caderno novo, promete estudar e manter o novo caderno organizado e completo.... Sim, o ser humano precisa de marcos... Como se o novo tivesse o poder de apagar todas as máculas do que é velho.... Hum, que filosófico... rs).


Ai, ai... mas admito... começar um novo ano é mto gostoso.... Pensar que tudo será diferente, mesmo quando tudo continua igualzinho é mto bom. Ter esperanças é mto bom.... Então, pra finalizar, serei objetiva: o que acho mesmo importante é passar bem por essas festas, seja com a família, com os amigos, ou até sozinho mesmo. O importante é estar em paz consigo e com o mundo... Fazer uma oração, agradecer, pedir, sonhar....Isso sim é importante. E depoooois, correr muito para eliminar os dez quilos e nunca mais achar, porque acredite, só planejar e pular ondinhas na praia de nada adianta se não nos mexermos...

Desejo a todos um bom feriado. Muitos beijos e fiquem com Deus

8 comentários:

Rafaela disse...

Não faz muito tempo eu ainda encarava o Natal com olhos e alegria de criança. Depois de um tempo, não me lembro quando e nem por que, comecei a compartilhar a mesma visão que tens desse dia. A gente come, come muito, ri, reza, bate foto, deseja Feliz Natal e vai pra casa dormir.
Queria tanto voltar a achar graça em tudo isso, em me preparar meses esperando esse dia. Quem sabe esse ano seja diferente, não é?
Bjos!

Aline C. disse...

É verdade sobre todos os pequenos marcos que fazemos durante a vida, e não só no dia 01 de janeiro.
Precisamos de algo mais motivador que a própria vontade, e isso me parece um pouco comum, mas mesmo assim esquisito.

beijos, boa semana.
p.s.: preciso acresentar que eu adoraria passar um natal sem comemorar nada? seria só mais uma noite... ;P

Vicky Guarino disse...

o natal é comercial, não tem mais graça pra mim,
sobre o dia 31 eu concordo, é uma data feliz e no fundo, mais sincero!

Anônimo disse...

Sinceramente, não vejo nada como o natal seja uma data religiosa, não passa de mais um dia do ano, se realmente acontecesse esse 'fato', devia-se comemorar todos os dias, e não so no natal. Para mim, não passa de um dia para ganhar e retribuir os presentes.

Julio disse...

E aí menina, já se recuperou do torraço??? hehehehehehe

Excelente texto, como sempre. Concordo com você 1000% nesse assunto, natal é legal mas ser politicamente correto com beijinhos e abraços é forçado mesmo e Reveillon é tudo festa, mais ou menos como no carnaval. :P

O começo do ano tem mais uma coisa de bom. São minhas, sempre programadas e aguardadas, viagens a Recife (Janeiro) e Floripa (Fevereiro). Não tem como não gostar disso... heheheheheh

bjs e se cuida.

Vivi Eyng disse...

Não tinha passado por aqui depois desta última atualização...

No Natal realmente existe uma coisa estranha no ar... cada pessoa tem um motivo para curtir ou não curtir esta época do ano... para mim o encanto desta data passou quando perdi alguém especial e tive que enfrentar o primeiro Natal sem esta pessoa... complicado! No fundo hoje queria muito ainda acreditar que Papai Noel existe... Mas enfim... ele não existe! Além disso existem todos os outros motivos que vc listou e que nos fazem ter outro olhar para o Natal...

Já o Ano Novo tem este ar de renovação pra mim tbém... parece que realmente renovamos a esperança de que tudo que não está muito bem vai melhorar... além disso parece que aquele pensamento "tudo vai ser diferente daqui frente" ganha nova força quando os relógios marcam 0h e os fogos explodem por todos os cantos...

E agora 2010 está indo... e falta tão pouco para tudo começar de novo...

É isso...

Beijos

Vivi Eyng disse...

Faltou registrar uma coisa: Carlos Drummond foi perfeito!!!!

Vou citar no twitter... hehehe

Beijos

Anônimo disse...

Curioso, eu tb nunca havia escrito, exceto agora, a palavra forçacão,kkk... E pensando nela, compartilho da mesma opinião sobre estas festas... Putz, acho q não existe coisa mais forçada do que passar o ano todo sem ver, visitar ou falar com as pessoas,principalmente da família, e na festa de Natal abraçá-las repetindo o velho feliz natal. Na real, qual o objetivo de se desejar feliz natal???
Bjuuu