quarta-feira, 25 de agosto de 2010

Exorcismo

Eu queria escrever algo sobre o meu luto. Ou melhor, sobre o fim do meu luto. Escrevi um texto imenso, mas sabe quando você tem a sensação de que está mexendo em coisas que não deveriam ser mexidas? Como quando a gente é criança e resolve "brincar" da brincadeira do copo e depois fica morrendo de medo de que os espíritos realmente apareçam? Foi assim que me senti. Percebi que realmente o amor acabou, assim como os cadáveres estão realmente mortos. Mas, se começamos a pensar neles, descobrimos que eles têm espíritos e estes não morrem nunca. Os espíritos podem nos perseguir para sempre, porque a alma dura para sempre... O amor pode ter acabado e enfim eu posso dizer que o luto também vem chegando ao fim aos pouquinhos, mas ao escrever sobre isso, percebi que assim como as almas, as lembranças não morrem jamais. E sim, elas também podem ser invocadas e, infelizmente, têm um poder devastador sobre a mente humana. As lembranças podem ser o maior martírio de um ser humano...
Dito isso, exorcizo o texto antes escrito. Já que tudo está passando em companhia do silêncio, não custa nada deixar assim... Afinal, o processo de cicatrização só começou de verdade depois que eu coloquei um pano preto em cima deste assunto. O esquecimento foi o que me fez esquecer. Não vou ser burra e trazer de volta todos os fantasmas trancafiados no fundo da minha mente.
Existe um ensinamento do qual jamais me esquecerei: amor e ódio caminham juntos porque vêm da mesma raiz. Eu odeio ter passado por tudo o que passei. E me refiro aos momentos bons principalmente, porque se eles não tivessem acontecido, eu jamais teria chegado ao final trágico...

9 comentários:

Lilian disse...

Ai, ai...forte heim! E verdadeiro, como sempre...

Beth Mello disse...

O que ainda não foi esquecido, jamais será!
O que acontece depois do Luto é uma visão menos dolorosa e outros parametros da nossa realidade, e mexer com esses espiritos oriundos de cadáveres, nos tirarão risos de uma melancólica saudade do que foi bom!!!!
Prazer, Beth Mello - Nova leitora do seu blog.

Aline C. disse...

Eu não sou a pessoa mais correta para se buscar quando se fala em arrependimentos, amor e lembranças. Então...
"Eu sou o que sou hoje por causa das minha escolhas que fiz ontem" (Eleanor Roosevelt)

Be save.
Te amo. Beijos

Victória Guarino. disse...

" As lembranças podem ser o maior martírio de um ser humano..."

Claro, acho que nem preciso dizer o quanto eu me indentifiquei.
Eu mesma poderia ter escrito isso, exatamente assim, há um tempinho atrás..

aah, e aposto que o tal defunto ficou um tempinho na sua cabeça depois de voce ter escrito esse texto!

Anônimo disse...

Esse post tá f***!

Elem disse...

Espero que isso tenha sido um elogio.... rsrsrsrs

Camila Figueiredo disse...

Olá, Elem!

Visito seu canto hoje pela primeira vez e gostei muito! E este seu último post, assim como para muitos aqui, se encaixou em um momento muito íntimo...
Muito obrigada pelas suas palavras, grande abraço.

suellen nara disse...

o amor jamais acaba, acredito que seu luto seja por outras coisas.
exorcizar é preciso, sempre, mas só os momentos ruins. guarde os bons e siga em frente.

Eliza Rebello disse...

Nossa, eu tav precisando ler um texto assim, que me fizesse pensar...Adorei o post! Beijos