sexta-feira, 30 de julho de 2010

Tesouro

Ai... então... chegou ao fim. As férias chegaram ao fim... e pra quem não queria viajar para o Rio de Janeiro nas férias, até que me diverti muito. Muito mesmo. E pra quem queria ficar apenas cinco dias, vou embora com a impressão de que dez dias não foram suficientes. E com a consciência cada vez mais forte de algumas outras coisas também...
Não foi uma viagem como as outras. Não fui ao Arpoador, não entrei no mar de Ipanema - ainda não me recuperei do quase afogamento da Páscoa, não vi os meus amigos de sempre - e confesso que não encarei isso muito bem, tomei coragem e visitei a minha avó - e ela não me chamou de gorda... Essa viagem foi diferente. Conheci outras pessoas, fiz outros tipos de programas, fui ao cinema, passei quatro horas em um único museu, observei o sistema solar pelo Planetário, olhei fotos, renovei e criei novos sonhos.
Os primeiros cinco dias foram mais agitados. Era a sede de sair da caixa de fósforo. O placar bombou, as pernas também, os pés ganharam bolhas de tanto andar pelas ruas da cidade maravilhosa - quem anda do Catete até o Jardim Botânico a pé e depois vai para Barra da Tijuca almoçar?? Só eu. Era saudade. Saudade do clima, do jeito, do povo carioca. Saudade de tantas coisas e cores que não vejo no meu dia-a-dia. Já os últimos cinco dias foram mais instrospectivos, culturais. Cineminha, museus, exposições, cervejinha no bar da esquina, luar em Botafogo e beijos, muitos beijos. E nos dois últimos, especificamente, tristeza por sentir que estava na hora de voltar para a realidade. Confesso que chorei.
Gosto daqui. E isso é tão forte em mim... Mais uma vez me sinto como num filme... esperando o final, pensando nas esquetes, no final, no reward. Sábado, sei que olharei a Ilha do alto e pensarei como eu amo Florianópolis, mas sei que pensarei também que meu coração nunca estará completamente lá. E posso confessar mais uma coisa? Saber disso me assusta um pouco. "Onde está o seu tesouro, ali está o seu coração." E eu sei bem onde está o meu tesouro... apesar de tudo.
Bom, é isso. Eu sei, não foi um texto festivo, cheio das graças como geralmente são os textos sobre férias, maaaas, acho que ele reflete bem os meus dias de descanso... Me despeço da minha cidade natal já morrendo de saudades... E pensando que eu jamais estarei 100% em outro lugar. Seja ele qual for... Mais de uma vez ouvi a frase que cariocas não vivem para sempre fora do Rio de Janeiro...É como se fosse necessário vir recarregar baterias, mas percebi que em um belo dia, você descobre que a bateria não carrega mais... Pelo menos, não mais desse jeito. E é isso que tenho a dizer...
Um grande beijo para todos.
See you e bom final de semana para vocês e até a próxima.

7 comentários:

Thiago disse...

Sou um mau amigo?! Fiquei sem ver minha amiga. Esse tal de trabalho está consumindo meu tempo. Prometo que se ele for revertido em $$ irei até a sua cidade para ver você. Mas é bom ver que se divertiu (beijou) muito. Saudades.

Anônimo disse...

Acho que um dia, as pessoas vão fazendo seus próprios lares. Lugares à que pertencem. Só alguém, como você, tão louca, amiga, feliz e querida por todos não sabe onde ficar. É como se fosse um cabo de guerra, não sabe para onde cair.
45% em Floripa, 45% no Rio, e os 10% finais? Espalhados nos corações de quem você tem lembrança.
I miss you.

Aline.

louremboy disse...

O grande problema nao é recarregar as baterias em si, o problema é que é complicado quando começa a descarregar!rs! Um dia eu volto de vez, tenho a esperança de ver a final da copa no Maraca, BRA x ARG!rs! E já q arranjaste um gringo, vou arrumar uma india!rs! bjos!

monike disse...

Nossa confesso que me emocionei Elaine, que linod esse amor que você tem pelo Rio e por floripa mas pelo o que vejo só o Rio faz você recarregar as baterias. Nossa lindo mesmo amei!!

Elem disse...

Querido Louremboy,
tb quero ver a Copa no Maraca.... isso é fato!!
Veremos juntos então. Fechou! rs


Beijoo e saudade de pegar praia contigo

Anônimo disse...

Já li vários de seus textos... mas confesso que este, sobre as férias, me emocionou verdadeiramente... talvez porque houve um tempo em que eu também tinha esta necessidade de recarregar as baterias... aqui... exatamente aqui onde estou agora...
Por isso, tenho certeza que nunca viveremos para sempre longe do "nosso lugar"... aquele que nos renova, que nos embriaga de saudade, que nos leva às lágrimas, mas que coloca em nossos rostos sorrisos inesperados e alegrias inesquecíveis... considero que isso seja algum tipo de magia.

A propósito, o Rio é lindo... é mágico... é encantador!!!! Foi o destino de uma das melhores viagens da minha vida.

Beijos e bom retorno ao trabalho!
Vivi Eyng

Anônimo disse...

Vivi Eyng,

No RJ também tive momentos inesquecíveis da minha vida.

SLJ