sábado, 15 de maio de 2010

Sobre decisões

Antes de iniciar a leitura...
Encontrei esse texto perdido aqui nas minhas coisas e achei que valia a pena publicá-lo, apesar de se dirigir diretamente a um ser em especial. Até pensei em modificá-lo, mas acho que perderia sua essência... Sendo assim, leiam mas não pensem que houve qualquer novidade nesse assunto antigo. Foi apenas um verão e, como todos sabem, já estamos no outono - quase inverno. E outra: o "corsinha preto" nem existe mais... os tempos mudaram e agora é um "clio bordô" - hehehehe.
Beijos e boa apreciação.


Sobre decisões

Quantas noites de sono você já perdeu pensando em qual decisão tomar? Mas já percebeu que muitas vezes simplesmente perdemos tempo tentando resolver questões que já estão resolvidas? Sabe aquele velho ditado: "o que não tem remédio, remediado está?" Então... É sobre isso que quero falar.

Duas conversas hoje me chamaram a atenção. A primeira foi uma menina que tentava me convencer que um dia ela vai ficar com o cara que ela gosta porque um dia ele vai descobrir que gosta dela. (Juro que quase mandei ela ler o "Inspiração alheia" hehehe) e outra conversa foi sobre mim mesma: que eu deveria chamar alguém para conversar e perguntar "qual é?". Dúvidas que respondi: não há o que decidir. Porque é exatamente isso: não há o que decidir. Muitas vezes a gente fica se matando, pensando qual seria a melhor decisão a ser tomada quando na verdade não há alternativas. E se não há alternativas, não há o que escolher... é aquilo e pronto. O problema é que insistimos em ver coisas onde não existem, ver opções onde só há apenas uma lacuna. Entendem o que eu digo? Tá, vocês querem exemplos.

Você gosta do cara. O cara não gosta de você. Existe alguma decisão a ser tomada? Não... o cara não gosta e pronto. Ele só quer te usar, fato. Qual a sua alternativa? Partir para outra, óbvio... Mas não, o ser humano é teimoso... Você jura que vai mudar a cabeça dele e aí... escolhe a segunda opção que a princípio nem existe: fazer o cara se apaixonar por você. E aí quebra a cara, chora, esperneia e lamenta ter tomado a decisão errada. Óbvio! A opção que você escolheu não existia... era apenas fruto da sua cabeça!! Não adianta agora chorar pitangas... você terá que voltar e engolir a única opção que você tinha verdadeiramente: partir pra outra.

Outro exemplo. Você quer um cara que mora a nada mais, nada menos que 1500km de distância de você. Vai dar certo ? Você vai perguntar pra ele o que ele acha da ideia ? Não... porque a menos que vocês reduzam esse número a ZERO, ou seja, consigam estar na mesma cidade, não há o que fazer. Por mais que você queira, sonhe, deseje... será complicado. Você vai sonhar com ele, vai chorar, vai mandar recados apaixonados, mas não, ele não estará ao seu lado. Não tem internet que dê jeito nisso... Solução ? Redução dos km... Ou seja, um dos dois tem que querer sair de sua cidade... Eu sou cigana mesmo, todo mundo sabe disso, mas... será que essa opção existe ?

"Ai, que pessimista você está hoje!!" você vai dizer... e talvez eu esteja sendo mesmo, mas prefiro dizer que estou mais realista... Sei lá, às vezes a gente quer coisas que não existem... e começamos a fantasiar em cima delas e de repente: bum! Acordamos. Ou porque alguém nos acorda ou porque a realidade bate a nossa porta e nos faz enxergá-la. Mais cedo ou mais tarde isso acontece. E é tão ruim acordar de um sonho bom...

Sim, eu queria muito que 1500km não fossem nada... E como queria. Queria muito que fosse tudo tão simples como pegar o corsinha preto e atravessar a ponte, mas não é. Queria poder criar oportunidades a partir do ponto em que estou, mas não dá. Sendo assim, o que farei ? Fantasiar ? Perguntar ? Aprender a voar ? E o outro? Será que ele quer fantasiar, responder, apreciar voos ? Não sei. E em "não sabendo”, temo já ter a resposta. E tendo a resposta, resta-me uma única alternativa a ser assinalada. Odeio me sentir assim, sem opções.

Eu não preciso tomar decisões porque a decisão já foi tomada. Talvez as pessoas não percebam isso, mas eu percebo. Não posso escolher pelo outro coisas que nem eu mesma consigo escolher. E na verdade, acho que é assim que funciona. Não dá para escolhermos pelo outro... decisões precisam estar a nosso alcance, a partir do momento que elas nos fogem ao controle, decidido está. Fazer o quê ? Nem vou te responder o que eu pensei... rs



8 comentários:

Rafaela disse...

Putz...
Como sempre, entrou na veia...rs
É sempre bom apreciar teus textos...
Snif, snif!

Anônimo disse...

É a vida, é bonita e é bonita...
Que bom se tudo fosse uma linha reta, mas como a frase mesmo diz, "a linha reta do eletrocardiograma significa a morte", então nossas escolhas tb fazem parte dessas instabilidades... A questão é: ESTOU PRONTA a fazer uma escolha??

LEvando em questão o Estar pronto a fazer ESCOLHAS, as escolhas não podem partir de uma só pessoa, então resta a espera de alguém que esteja no momento, escolhendo o mesmo que você...

Porém como saber se EU ou o OUtro esta em direção a mesma escolha, ou pronto para uma escolha??

NOvamente muito bom o Texto amiga..

Òtimo Domingooooooo

Anônimo disse...

Nossa!E isso ainda estava guardado na "gaveta", digo, no computador??? Bem, antes dentro da gaveta do que dentro do coração, né amiga?
Parabéns! Vc escreve como poucos!
Mais um texto com o selo de qualidade!
bjus

Aline Caramori disse...

Como assim, tchau corsinha preto? ;/
Foi pra esconder a sujeira né? rsrs.
Texto antigo, mas que valeu pra mim hoje.
:D
beijos, te amo

Elem disse...

Foi-se o corsinha... tens q pegar carona agora no carro novo... hehehehe

Integração Histórica disse...

Verdade Verdade .

Não adiante buscar uma solução para o imporvável uma vez que nós mesmos Temos nossos Valores . Nesses Casos Mergulhar numa Falsa expectativa é a prova que o Coração Engana , A questão não é ser racional o Tempo todo porém é importante saber Guiar o nosso próprio Coração rss...

"Pra Que Mesmo" Esse é um dos bloggers que eu Tenho mais identificação , que eu mais gosto , que eu mais respeito e Claro o Blogger que eu reconheço o Valor produtivo !

Obrigado Elem pelo seu comentário no meu blogger foi super importante!

Tenha uma ótima Semana !

Julio disse...

E aí menina. Tudo bom?

Quanto tempo não apareço pra falar um pouquinho com vc. Por aqui as coisas andam muito corridas e nem tenho nem viajado.

Quanto aos textos, sempre muito bons, mas tenho sentido um certo ar de tristeza neles. Espero que eu esteja errado.

Bjs e se cuida.

Elem disse...

Entao, mais de um ano depois volto aqui para falar algumas coisas..... rs

A primeira menina, a que dizia que se submetia a tudo aquilo pq um dia ia acabar ficando com o cara de vez, hoje está morando com ele. Isso, claro, depois de engravidar DUAS vezes deles. Ela querendo, obviamente. Ele eu já nao sei.
E qto a questao dos 1500km de distância, uma grande amiga conheceu um espanhol, num forró aqui em Floripa. Nem sei qual a distância entre Fpolis e Barcelona, mas sei que este ano eles casaram e estao felizes da vida.
Ou seja.... numa fase mais otimista da vida, hoje acho que no amor td é possível. Vai entender... rs
Beijos