terça-feira, 20 de abril de 2010

Mais uma noite de insônia...

Por que escolhemos a dor quando a felicidade nos bate à porta? Não sabemos exatamente o que nos leva a tomar esta ou aquela decisão, não sabemos qual mecanismo do nosso ser nos leva a escolher determinado caminho ou direção. Pelo menos não conscientemente.

Como animais que somos temos a noção do perigo. Nosso instinto nos avisa, acende a luz de alerta quando nos aproximamos do perigo, mas a curiosidade humana nos leva a seguir em frente, mesmo sendo o perigo iminente. Queremos provar, experimentar e degustar aquilo que nos parece tão apetitoso. E depois de provado, resta-nos o gosto amargo da lembrança. Lembrança esta que pode ser boa ou ruim... E na pior das hipóteses, pode ser saudosa.


Sabíamos desde o início: "não entre, área restrita". Mas insistimos, entramos e provamos o que não era pra ser provado. E depois ? Sentimos falta. O doce nos é tirado da boca e ficamos desejosos de mais e mais. Mas esse mais não existe, a fantasia se desfez e você está novamente só, como antes. Aquilo que era perfeito mostra-se na realidade imperfeito, aquilo que lhe parecia bom e salutar mostra-se agora ruim e maléfico. Destrói seu organismo, seus pensamentos, sua razão, seu coração. E você? Insiste mesmo assim em querer mais. Deseja simplesmente saciar a sua vontade, o seu desejo, mesmo que seja irreal, mesmo que seja uma ilusão ótica. E por quê? Porque preferimos o que nos mata àquilo que nos dá vida. Preferimos a dor, o incerto, o imaginário simplesmente porque não conseguimos enxergar algo que nos seja maior e mais concreto. Preferimos a lembrança, a incerteza constante, a migalha. E é assim que somos. Acostumados ao pouco, somos incapazes de enxergar que o pouco não nos completa, ao contrário, o pouco abre vazios ainda maiores.

O pouco, a migalha... é com isso que nos contentamos.

4 comentários:

Marcia disse...

Menina, acho que fazia tempo que eu não passava por aqui, pq li uns 5 textos!
Isso que estás sem pc, imagina se ele estivesse aí do teu ladinho...
Eu q não tenho tido inspiração...
E aí, estás melhor?
Sempre curto teus textos. Foi bom falar ctg no outro dia.
bj

Hed disse...

Belas palavras ... mas creio mesmo que o medo de encontrar finalmente o que sempre procuramos é o pior dos sentimentos, muitas vezes o melhor esta na nossa frente e nao vimos ...

Otima e sabias palavras as suas
Vou aparecer mais vezes por aqui

Bjao e ate mais

15378 disse...

Muito bom menina, te acho uma pessoa muito interessante, você é minha fonte de inspiração.

Elem disse...

E eu adoro esses comentarios sem identificação... rs
Mas obrigada pelo elogio! rs