sábado, 5 de dezembro de 2009

Contextualizando

Até quis pensar em algumas coisas esses dias todos em que andei sumida... Mas sabe quando os acontecimentos da vida te atropelam ? Pois então, foi meio assim...
Coisas ocorridas no período "ostra total":
* Confirmação da gravidez da Ana Lice;
* O Julio veio em Floripa; (uhull)
* As aulas terminaram; (Porque Deus é pai e não padrasto - rsrsrs)
* Eu cedi aos encantos de alguém; (e tô pagando o preço até agora.... )
* Eu conheci pessoas novas (hummm);
* Eu sumi da faculdade; (não, isso não é bom)
* Eu cheguei ao ápice e chorei de estresse mental; ( e repetia: "tô cansada, tô mto cansada")
* Escrevi coisas, não assinei e dei de presente para que fossem divulgadas por outros; (viva, treinei a humildade!!)
* Comi pastel de camarão em Santo Antonio novamente com as minhas amadinhas; (por que a gente adia tanto as coisas boas da vida ?)
* Fui à praia. Várias vezes... ( e isso foi definitamente maravilhoso).
Pensei todos os dias em coisas que precisava falar aqui: nos recados que eu precisava mandar, nos sermões da montanha, nos agradecimentos e desabafos de uma professora enlouquecida... Mas não consegui pôr para fora nem uma linhazinha. Nada. Me encolhi. Li livros, textos, revistas, cartas e avaliações. Ou seja, tudo o que apareceu pela frente. E quando eu sentava aqui para extravasar a alma, o sono me vencia. Mas estou aqui novamente. Nenhum texto em mente, mas quero atualizá-los sobre o meu sumiço. Pelo menos isso.
Algumas pessoas ressurgiram (óh). E eu pensei se eu deveria igualar-me a elas ou não. Outras surgiram e eu pensei se eu deveria deixar-me levar ou não. Sabe qual o problema ? A vida da gente é muito frágil... E na grande maioria das vezes deixamos de viver porque ficamos pensando em coisas que não deveriam mais estar em nós. Insistimos em carregar um peso morto nos ombros (ou melhor, no coração... ). Perda de tempo, acho. Perda de tempo... e sinceramente tempo é uma coisa que não tenho como perder...
Esta semana ouvi uma mulher contando que recebeu várias ligações de uma amiga e não atendeu. Pensou: "ligo depois, quando eu chegar em casa." Quando chegou em casa, pensou: "Ligo depois, quando acabar o banho." Depois do banho, pensou: "Está tarde, ligo amanhã." E no dia seguinte, quando ela finalmente ligou, descobriu que a amiga havia se suicidado no dia anterior. Talvez minutos após ter ligado para ela, sem sucesso... A tal mulher chorava e se lamentava. Pedia perdão por não ter atendido e por não ter retornado... mas pensei eu com os meus velhos e loucos botões: "pra quem ela está pedindo perdão ? Agora é tarde demais...".
Esta semana recebi um email. E juro, eu não queria ser igual a todo mundo, não queria me igualar a ninguém (ou a alguém) e fiquei pensando se eu deveria ou não responder. Era como se um anjinho dissesse: "Ligue, Elem. Você não precisa fazer o que todos esperam que vc faça! Faça o bem, o melhor!" E ao mesmo tempo, um diabinho, daqueles bem ruins, dissesse: "Não, gata... Deixe estar... As pessoas precisam aprender como é ruim a indiferença... Aqui se faz, aqui se paga!". Por via das dúvidas, respondi. Não sei o que passa pela cabeça das pessoas, e pior ainda, não sei o que se passará no segundo seguinte da (minha) vida... Por isso respondi. Não porque acredito na mudança do ser humano, mas sim porque acredito na minha consciência tranquila.
Às vezes me acho tão tola... Tão incrivelmente adolescente... Tão absurdamente imatura. Tão extremamente incompreendida... Como vocês me aturam ?? rs
Ow... Recadinhos então:
Rafa, gosto tanto de ti. E às vezes, tenho medo disso... Mas prometa não me perguntar nada relacionado a esse comentário, ok ?
Darling, juro que não queria sentir essa indiferença por ti... É uma gama de sentimentos muito confusos... Dá pra editar o vídeo ?
Thiaguinho, saudades de você. Não imagina o quanto...
God, where's the love ?
É isso, pessoinhas amadas... (e odiadas tb - já que vcs CONTINUAM vindo aqui.... rs)
Férias chegando... Tenho projetos... espero concretizá-los dessa vez.
God bless me.
Beijos e beijos,

4 comentários:

Julio disse...

Oi meu anjo, texto excelente, como sempre.

Que bom que nos fimos, pena que por pouquíssimo tempo e estávamos ambos acabados de cansaço, e eu, um pouco chapado... hehehehehehhee

Prometo passar um bom tempo com você em Janeiro e você vai adorar a Rejane, ela é maravilhosa, mas não conta isso pra ela, ou então não vou ter mais porque implicar com ela em um monte de coisas... hehehehhehehe

bjs

Allie Caramori disse...

Agradecimentos de uma professora enlouquecida. olha, aquilo realmente me deixou atônita... mas tudo bem... tu leu o que eu escrevi pra você no meu blog (post Dias de Chuva). mas é como eu disse aquela vez, é clima outonal, você realmente precisa deixar que as coisas antigas, caiam e enfim, sair da tua vida. E como te aturo? ainda não aprendi isso. hahaha, brincadeira.

beijos.

Vanessa Ludwig disse...

Como sempre vejo as atualizações dos blogs que acompanho e lá estava um título "Pra que mesmo?". Desde sempre (não sei exatamente quando) gostei desse título/pergunta, melhores são os textos do blog.
Você cita no texto o fato de não saber o que escrever, pois eu digo, esse não saber é muito melhor do que as "inspirações" de uma grande maioria - posso dizer que estou no meio dela =P.
Achei de certa forma inspirador seu texto, a parte da consciência tranquila, estar de bem consigo mesma é ter uma consciência livre de culpas, como desabafo, posso dizer que ando com a minha dando uma leve dor nas costas, mas nada melhor que fazer o bem (ou a coisa certa) pra curar um pouco dessa dor.
Beijos Flor... mais uma vez falo que adorei seu texto =D

Marcia disse...

Eba, a gente se reencontrou! Foi muito bom, parece que o tempo não passou, foi igual a antes...
Mas o tempo passou né? Não deveríamos ter adiado tanto, vamos tentar manter contato? Bjão!